As decisões são necessárias

Oie, people. Assisti um filme muito bacana de se ver, ele prende a gente do início ao fim e em nenhum momento ele fica tedioso. Muito pelo contrário, vc fica mais e mais envolvida com a história.

Alguns vão dizer que o efeito borboleta é clichê e antigo. Talvez vc tenha razão, mas a questão é que durante o filme vc nem lembra do clichê, do antigo ou do comum; porque vc quer saber muito como aquilo tudo vai acabar.

A situação é que a personagem principal, Vera, tem uma vida comum e de repente é inserida no destino de um garoto, e é ai que tudo começa.

O filme lembra um pouco daquele filme com o Jim Caviezel e Dennis Quaid, mas tem um suspense com mais adrenalina.

O que pensar deste filme, é que tem coisas que parece que devem acontecer mesmo, tipo destino. Parece que algumas pessoas nunca deveriam se conhecer e outras que deveriam. Nos faz pensar que escolhas erradas são comuns: ou porque somos teimosos e não ouvimos nosso sexto sentido, ou como somos ingratos com nós mesmos e mais ainda com as outras pessoas.

O filme faz a gente ter certeza que certas coisas não deveriam mudar, por mais tranquilo que aquilo pareça no momento.

Só sei que eu gostei muito e fiquei surpresa com as surpresas que o filme traz, é demais.

Assiste, e vê se vc tem a mesma experiência que a minha 💕

Bjos bjos

Vanessa Moura

Anúncios

Quando a vida não é mais a mesma

Pessoal assisti duas vezes ‘Depois daquela montanha’ pra poder escrever a resenha e li muito sobre o livro. Que filme lindo! Mas o livro, pelo pouco que li, é melhor ainda.

A situação toda começa devido um atraso nos voos devido a tempestade e ambos os personagens fretam um avião pra chegarem ao seu destino. Só que uma fatalidade acontece e ambos ficam presos, com o Cachorro, no meio do nada e envoltos de neve.

A personagem de Kate Winslet fica muito machucada fisicamente, mas como ela é uma mulher forte emocionalmente, eles acabam unindo-se, talvez sem perceber, e devido a isso eles conseguem sobreviver após tantos momentos difíceis.

Mas o que marca mesmo esse filme é o como ambos vão se curando de suas feridas interiores e da falta de atitude em relação a eles mesmos. Pode-se dizer que o filme nos dá exemplo de superação, otimismo e muita coragem em decisões tão importantes na vida adulta.

Quando a gente fica louco pra ser adulto acha que a vida vai ser um mar de rosas, mas não é bem verdadeira essa teoria. Por mais que vc seja bem sucedido os desafios nunca param de aparecer, e dependendo de como vamos superando ou decidir não superar achando que isso evita problemas, é ai mesmo que os problemas se tornarão os piores desafios.

Um grande exemplo é esse filme; de que as coisas acontecem pra que tudo se encaixe e se ajuste. Daí vem um coisa horrível no meio do que parecia tranquilo e tudo muda, e pra melhor. A vida é um grande presente cheio de surpresas, só precisamos aproveitar as oportunidades.

Não perca a oportunidade de assistir a este filme cujo casal “morreu de colar”; que dupla linda. Amo a Kate e amo o Idris, e ver os dois neste filme foi um pequeno sonho realizado.

O livro já está na minha lista de leitura, deve ser o MÁXIMO.

Pessoal bjo bem grande e até a próxima.

Vanessa Moura

Na verdade o sol brilha pra todos

Assisti há uns dias atrás Sob o mesmo céu, confesso que não sabia que era um filme tão bom. A sinopse não diz nada e por isso fiquei protelando assistir porque parecia uma história clichê, até que tive uma motivação chamada “marido que coloca filme na hora de dormir e dorme”, enquanto que eu não consigo dormir até o bendito filme ‘inédito’ terminar. Então, tive que assistir tudo é confesso que amei muito.

Esse filme simples fala de revelações, mudanças, não de arrependimentos; mas de coisas negativas que foram feitas, porém que serviram de aprendizados.

Bradley Cooper está brilhante e a relação dele com o piloto (john krasinski) é muito bacana. No início parece que teremos um triângulo amoroso, mas não, não é nada disso.

As descobertas que as pessoas vão tendo de si mesmas, como vão percebendo que o passou, de fato ficou lá no passado. E como isso tudo vai se resolvendo sem grandes dramas. Apenas se resolve.

É um filme super gostoso de assistir, com pessoas que parece que nasceram pra fazer cada personagem.

Vale a pena observar neste filme também, que ele fala o quanto “a palavra”, ou melhor, o quando ainda há honra nos acordos feitos entre as pessoas, porque sempre tem alguém esperando o melhor de você.

Assiste. 💕

Bjo bjo 😘

Descubra seu poder

Já assisti, sim. Logo que estreou 😁. Talvez as pessoas esperem um filme de ação, com cenas espetaculares, mortes bem feitas sem escândalo e sem trash. Eu espera exatamente o que vi, aliás vi mais que esperava. Eu confesso. Eu assisti uma obra magnífica de Shyamalan porque ele sabe como trazer à tona o interior dos seres humanos. E esse filme fala disso: poder, decisão, perda, fraqueza, loucura. O filme é demais 💕

Eu entendi nesse filme que há pessoas que possuem sempre algo a mais que outras: não precisa ser somente a força física, somente a inteligência. Eu sempre cri que podemos ser algo a mais do que somos hoje. Podemos desenvolver força, habilidade, tolerância, resiliência, empatia.

O ser humano não pode se limitar, nós sempre podemos ser mais e fazer mais.

O filme retrata bem isso, e quando agimos de maneira especial, sempre há aqueles que acreditam que seu demais tá errado, e tentam de fazer acreditar nisso.

Faça sempre o “a mais”. Desenvolva, mesmo que a partir da dor, como foi pra um dos personagens. A mente humana é infinita e está nos esperando pra conhecermos a ela, ainda mais.

Encontre um sentido

Se ainda não assistiu assista à série You da Netflix, é incrível, e eu engoli 🤪 cada episódio porque eu tinha certeza que o final seria aquele repetitivo, aquela coisa de sempre. Mas não, não foi assim, mas calma que não vou contar nada de mais.

Porém, preciso frisar que o Joe é um grande mistério, mas posso dizer que ele não aquilo que todo mundo adora conceituar os caras que matam (psicopata) 😁 ele é um cara que de fato precisa de ajuda e muita ajuda.

Como não posso falar muita coisa senão acabo soltando um spoiler, mas posso dizer que a trama envolve muito a gente, e de fato tem uma hora que a gente quer que o cara se dê bem porque tem umas coisas muito lindas e legais que ele faz 😅.

A princípio a história fala de amor, ahhh o amor é tudo de bom. Mas será que na verdade se trata disso mesmo?!

Basicamente, a história é sobre a Guinevere, que é uma moça, que como muitas outras, está bem perdida na vida, busca ser parte do meio, come as migalhas que caem “das mesas dos ricos”, e sabe que isso acontece mas não consegue sair de sua própria lama. Sair só, é algo bem difícil, então quando uma pessoa tão prestativa e amorosa aparece é claro que essa chance não pode ser perdida, não é? Talvez.

Mas, isso mostra o quanto precisamos ter muito cuidado com aquilo que fazemos e falamos aos nosso filhos, que tipo de atenção de fato devemos dar a eles e de fato o que negar. O mundo é um emaranhado de confusão, mas se tivéssemos consciência básica do certo e errado, a história dessas pessoas seria muito diferente.

A série me mostrou o quanto precisamos estar atentos em como vamos permitir que as crianças serão criadas, como permitir que suas escolhas sejam boas pra si sem prejudicar ninguém, e o quanto estamos dispostos a sacrifícios e mudanças pro bem de alguém.

Parece exagero, afinal é só uma série que nasceu de um livro homônimo. Mas não, não é só isso. Tem muito pra vc observar, se divertir, pensar; mas tbm refletir e aprender.

O Joe é alguém que quer cuidar, quer proteger, mas ele não entende que isso não é suficiente e que a vida não gira em torno disso, porque tem gente que não está interessado nisso. Além de sua autoestima estar muito lá embaixo, ajuda nos seus conflitos internos e eterna conversa entre “o diabinho do direito e anjinho do esquerdo”.

Se não assistiu, assiste. A série é incrível. 😘

Descubra a magia necessária

Sem Spoiler 😌

Assisti As crônicas de Natal, estreou ontem na Netflix e nem preciso dizer que é um filme de muito bom gosto.

Como todo filme de Natal este fala de um nascimento ou renascimento daquilo que deixamos morrer ou ficar esquecido; fé, amor, esperança, crenças, virtudes. Sabemos que o Papai Noel é uma representação comercial, mas nesse filme se fala dele de um jeito um tanto mágico, viril e real, dependendo de cada realidade e ponto de vista.

O Papai Noel deste filme foi representado da maneira que eu sempre quis ver, muito bem interpretado por Kurt Russell.

Sabemos que essa época pensamos em coisas que deixamos de fazer e praticar, sobre planos não concretizados e até sonhos que ainda estão na mente ou no papel. Só que isso não precisa ser meditado somente nesta época, o filme fala o quanto deixamos os sonhos pra traz e nos perdemos em praticar coisas que não se parecem conosco.

Por mais que pareça difícil e se sua realidade não dá conta de realizar coisas que vc julga não serem grandiosas, mas que pelo menos faça aos poucos e depois verá como termina, mas desistir é complicado, porque é a parir daí que nos perdemos.

Desejo não só feliz natal pra você, mas tbm força, fé e esperança pra vencer todos os dias os obstáculos.

Assiste o filme, tem uma surpresa no fim que eu estava torcendo pra que acontecesse ❤️❤️ e aconteceu 😍.

Bjos natalinos e até a próxima

Vanessa Moura ☃️

De quais maldições você foge?

 

SEM SPOILER

Quero poder dizer a todos que, sem sombra de dúvidas, essa série foi a melhor que assisti até agora. Gente, eu não sou a maior fã de terror, sou fã de suspense e drama. E essa série foi incrível porque penso que as maldições são muito reais, digo no sentido mistico mesmo, sobrenatural. Mas falo a respeito daquilo que trazemos pra nossa vida também.

Esta série INCRÍVEL, me trouxe vários sentimentos, na verdade a série vai querendo nos pregar grandes sustos. Num momento verdadeiramente me arrancou um super grito que acho até que o Klaus (meu marido) se assustou. A série vai mantendo um suspense e uma trama envolvendo aquela família de um jeito que é quase impossível deixar de assistir.

Além do gosto da escolha dos atores, o roteiro perfeito que deu uma bela continuidade na trama, nos envolvendo do início ao fim, no cenário sombrio e triste com raros momentos em que a gente pode sentir um alivio do tipo “ufa, olha um sorriso, olha só que amor…” por aí vai, mas você nem acostuma.

Porém, mesmo tendo muita coisa assim, não dá pra não se enfeitiçar com tudo aquilo, porque volta e meia você percebe que aquilo existe na sua vida. Algo que trata ali faz parte da história de alguém.

Basicamente é uma família que inicialmente perde uma pessoa que amam, e tudo gira em torno daquilo e de suas experiências pessoais durante o tempo em que passaram na residência Hill. Os anos passam e voltam durante os episódios que parecem querer que a gente monte um quebra-cabeça de milhares de peças. Eu consegui juntar algumas peças, mas ainda assim não fui capaz de montar grande parte deste quebra-cabeça, que digo novamente que é INCRÍVEL.

Posso dizer sem problema à todos que eu choro muito em filmes de drama, (e como esta série vai se mostrando um suspense,terror e drama), eu chorei copiosamente no ultimo episódio. Terminei de assistir o ultimo episódio com o Klaus e ele ria de mim por causa do meu choro, só que, ainda depois do fim eu não conseguia parar de chorar. Eu fiquei muito comovida e muito reflexiva com tudo aquilo, com tudo que os irmãos viveram e como que aquelas pessoas não foram capazes de enxergar aquilo.

Vi que isso acontece conosco: quando não perdoamos, quando nos enganamos, quando somos ruins com as pessoas – inclusive com quem amamos, quando somos incapazes de ouvir, de dar atenção no momento certo, de quando nos distanciamos porque acreditamos na ideia de que não tem jeito, porque foi assim que nós apredemos e não podemos aprender de outra maneira!

Quão mesquinhos e limitados nos tornamos! Não, não pode ser esse o fim. E esta série mostra tudo isso e o quanto podemos nos tornar melhores e não sermos exigentes com o outro enquanto não somos nem conosco. A verdade dói muito, mas a dor da perda e de saber que nunca mais terá aquilo pode ser muito maior e mais dolorosa.

Por isso não dá pra perder tempo, agora é o momento de agir.

Se você ainda não assistiu, corre e comece a ver esta série tão, tão, tão incrível.

Posso afirmar que toda experiência, por mais dolorosa que seja tem sempre algo de muito bom a ser aprendido. Não dá pra ser o mesmo, e isso é a pura verdade.

“Em casa, estou em casa, pensei,  e me surpreendi com o pensamento ‘estou em casa, estou em casa e agora devo entrar’. Eu errei tanto, sobre tantas coisas. Eu vivi com fantasmas desde criança, mesmo sem saber que eles estavam lá.”

O resto não posso escrever, você vai ouvir  do Steve.

Uma boa reflexão é: de quais maldições fugimos, e quais estamos convivendo há anos e nem percebemos?

Aproveita a experiência. Eu não pude assistir a série de uma vez porque tinha que esperar o Klaus, senão seria trairagem, mas assisti e valeu a pena cada minuto.

Bjos e abraços.

Vanessa Moura